sexta-feira, 20 de abril de 2012

O Muro

sexta-feira, 20 de abril de 2012

O Muro

Tento passar por você
Você é duro e não possui brechas que seja meu tamanho
Muro fincou alicerce profundo rígido e seguro para não deixar nada passar
Não ultrapassa e nada transpira
Frio e endurecido, entorpecido
Uma droga compulsiva, o muro ficou
Com quatro lados ao meu lado aqui estou
Esses tijolos de boa qualidade que me deixou aprisionado dentre estes quatro lados
O som doutro lado diz algo animador
Não possui brechas e nada vejo, aqui é escuro e frio
A água mina da terra e com barro enlameia tudo
Meus pés estão atolados no barro
O sol se distanciou, não chega luz alguma aqui
O nível da água sobe e sou obrigado a beber desta água com barro para não me afogar
Estou cheio de água com barro, aperto
Penso em deixar a água subir ou de alguma forma tentar sair daqui
Hoje a água esta novamente subindo e amanhã será o mesmo
A previsão de mudança não diz nada
La fora chove muito
Enquanto não vejo nada doutro lado
Estou aqui consumindo essa água com barro e muito curioso para saber o que há doutro lado
- Alguém está ouvindo meus gritos? Oiii? Tem gente ai doutro lado?
Que não sei se é o lado de dentro ou de fora, se estou dentro ou fora de algo
Onde estou?
Perdi a noção, é dia ou noite?
Nada posso fazer se cavar mais para baixo só terei de beber mais água amanhã. Aqui em baixo não a nada. Pudesse vir algo de cima com pontas e quebrar este muro
Alguém me escuta? AlõôU

/Jeshua Ben-Ami

0 comentários