quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Não, não são apenas cactos

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010
 mergulho nuno ferro

Você tentou, tentou me fazer ver aquilo
Você tentou me levar, você tentou
Queria ir contigo, conhecer tudo aquilo
Eu realmente queria ir, queria tanto não querer isso
Acreditei aquelas coisas sem sentido
Você me disse, veja isso, veja isso
Aquilo tudo que você me dizia, eu lembro
Você me falou tanto, sobre como era bom
Falou tanto que tudo poderia ser melhor
Você me disse, para olhar
Mandou esperar, disse que tudo iria melhorar
Eu acreditei, acreditei muito
Falei tudo, tudo o que deveria
Eu não escondi nada, até não poderia
Aquilo que você me pediu para ver
Eu não consegui, não consegui
Não vi tudo àquilo que você disse ver
Não sei como isso aconteceu, o que impediu
O que impediu que visse tudo àquilo que você conseguia
São apenas cactos, são apenas cactos
Eu te falei, são apenas cactos
Você me disse que não conseguia ver os cactos
Você não conseguia, eu não conseguia
Estou tentando com todas as forças, não tá sendo fácil
Os meus músculos já estão doloridos
Não consigo, está muito pesado isso, muito pesado
Sinto meu corpo tremendo, estou no meu limite
Novamente estou olhando para aquilo, não vejo
Tudo o que vejo são cactos
Os meus olhos estão cansados, não vou conseguir
Sinto meus olhos pesados, eles querem se fechar
Está tão perto, estou tão próximo, posso sentir
Consegui ver algo, era um deserto, o deserto
Eu consegui, eu consegui ver aquele deserto
Você não, não enxergou aquele enorme deserto
Aquele enorme deserto, você não conseguiu
Foram os meus olhos, eles não conseguiram ver
Estava cansado, estava no limite
Uma hora eu sabia que isso aconteceria
Ela, isso, essa, aquela, tudo me consome, eu não queria
Você, sempre me compreendeu, sempre achou que entendia
Você não entendia, não saberia como me sentia
O que você sabia era que eu não enxergava
Como você conseguia tanto, você não sentia
Não enxergava aquilo que você conseguia
Acho que já pude sentir isso antes
Não compreendi direito, não me lembro de tudo
Busco nas minhas memórias, procuro lembrar
A imagem, os rostos, eu não consigo ver
Tudo, as imagens, lembranças
Está tudo distorcido, não consigo
Acho que já senti, eu acho
Procuro em algum lugar em mim, não acho
Eu te disse, não consigo
Eu sei você sempre disse que estive tão perto
Você não sabe, não sente, eu não vi
Busquei o que me pediu, busquei em minha mente
Eu não vi aquilo que você disse, apenas vi os cactos
Tento lembrar, não dá, não tenho lembranças
Foi tudo consumido, isso, essa, aquilo
Desista, por favor, desista
Não tem nada ai, nada além de cactos
Não vá para aquele deserto, a tanto não chove
Não há nada lá, nada além de cactos
Não, não há nada lá, somente cactos
Novamente busco em minha mente
Que é você? Quem são vocês?
Eu estava, estava tentando
Agora, já não sei
Tudo o que vejo, são cactos
Nada além de cactos
Você conseguiu ver
Não consegui ver, não pude ver, me perdoa
Pois tudo o que vejo são cactos, cactos

por/benami

15:48 21/12/2010

cacto no deserto

0 comentários

Indefinido

grito-do-silencio


Como se tudo fosse lindo, era assim que você conseguia
Tentei um pouco, como tentei
No fundo eu sei, não posso ser como você
Você conseguia ver tudo aquilo
Você sempre teve aquela facilidade
As coisas pareciam mais fáceis pra você

Você não viu o que eu sentia
Não, você não conseguiria
Eu gritei, o mais alto que pude
Você não ouviu meus gritos
Você não viu, não conseguiu
Mais eu gritei, o tanto que podia
Por socorro, sim, eu gritei
Você não ouviu, não conseguia
Mais eu gritei, o tanto que podia

Tentei acreditar tanto nisso
Sim, eu tentei
Tentei sentir o que você sentia
Sim, eu tentei
Tentei ver o que você via
Sim, eu tentei
Só não consegui
Hoje so quero que se foda, que se foda o inventor
Aquele filho da puta, o que inventou tudo isso

Tentei acreditar naquilo que você sentia
Tentei acreditar que realmente conseguiria
Acreditei que tudo ficaria melhor, não sabia
Ficou tão estranho, não era o que queria
Eu vi, eu vi o que você sentia
Eu sabia, não sentiria o que você sentia
Não, não era o que eu queria
Tudo aquilo que eu vi, parecia tão bom
No fundo eu sabia
Nada daquilo era o que realmente queria
Parecia tão metódico
Eu não sei, não entendo
Eu só sabia, não queria aquilo

Lutei contra isso
Tentei evitar tudo isso
Lutei contra aquele inimigo
Tudo que fiz, foi acreditar
Não sabia que não venceria
Aquilo tudo se tornou tão metótido
Eu desisto, não quero tudo isso
Já te falei que tentei, eu tentei
Tentei sentir o que você sentia
Tentei entender do que você entendia
Eu não podia, não sentia
Não quero mais acreditar nisso
Não quero acreditar que um dia tudo melhoraria

Tentei acreditar tanto nisso
Sim, eu tentei
Tentei sentir o que você sentia
Sim, eu tentei
Tentei ver o que você via
Sim, eu tentei
Só não consegui
Hoje so quero que se foda, que se foda o inventor
Aquele filho da puta, o que inventou tudo isso

Aquele tempo, aquela espera
Eu sabia, tinha uma fila
Não, eu não consegui
Não consegui esperar tanto
Não consegui dominar o que sentia
No demais, aquilo me consumia
Escondido, eu estava escondido
Aquilo me escondia
Não agüento tudo aquilo
Não sentir como você sentir
Não saber se um dia tudo melhoraria
Não saber de nada
Eu não agüentava, eu não agüento

Hoje, eu sei
Eu não conseguiria, jamais conseguiria
Antes não saberia o que eu não conseguia
Mais hoje, hoje eu sei
Perdoe-me, eu não consegui
Não consegui superar suas expectativas
Tentei entender tudo aquilo que você me dizia
Toda aquela história de como tudo seria melhor um dia
De que tudo era passageiro, que tudo passa
Não é sua culpa, eu desisti
Tentei te falar, você não me ouviu
Por favor, não sofra
Não queria te fazer sofrer
Não suporto te fazer sofrer
Não era pra ter demorado tanto
A covardia me dominou
As proporções que isso tomou
Eu não sabia, o tempo parece longo
Só quero ver você bem
Por Favor, não sofra, não sofra
Eu sei que você pensou que estava tudo bem
Você se deixou enganar, não entendeu, não escutou meus gritos
Era tão simples, você não ouviu
Não ouviu a voz por dentre meu silêncio
Não é sua culpa, disso sei
Por favor, não chore, não me esqueça
Não sofra, não sofra

Tentei acreditar tanto nisso
Sim, eu tentei
Tentei sentir o que você sentia
Sim, eu tentei
Tentei ver o que você via
Sim, eu tentei
Só não consegui
Hoje só quero que se foda, que se foda o inventor
Aquele filho da puta, o que inventou tudo isso

Era de você, toda aquela energia
Tudo o que sentia, vinha de você
Você é tão incrível, tão perfeita
Não penso mais, não quero mais
Hoje tento te colocar em algum lugar na minha alma
Achar um lugar na minha alma que você permaneça
Não quero te esquecer, você é especial
Sinto você se desfazendo, estou te esquecendo
Não quero isso, sou dependente de você
Não quero te esquecer, não posso
Mesmo assim, não quero ir
Não queria te esquecer, mas não agüento
Você me vê tão bem, eu não vejo isso
Você não poderia, não sente o que sinto
Eu quero, talvez seja melhor daquele lado
Enquanto não há coragem, vejo aquela lembrança
Ouço você me dizendo como tudo é lindo
Que tudo vai passar, que as coisas vão melhorar
Talvez quando eu for
Enquanto não consigo, continuo lutando
Mais eu sei, cedo ou tarde vou conseguir
Logo estarei daquele lado
Enquanto não ganhei, apenas sou um guerreiro
O guerreiro da batalha perdida

Por/ben-ami
04:53 21/12/2010

0 comentários

Indefinida



Como se tudo fosse lindo, era assim que você conseguia
Tentei um pouco, como tentei
No fundo eu sei, não posso ser como você
Você conseguia ver tudo aquilo
Você sempre teve aquela facilidade
As coisas pareciam mais fáceis pra você

Você não viu o que eu sentia
Não, você não conseguiria
Eu gritei, o mais alto que pude
Você não ouviu meus gritos
Você não viu, não conseguiu
Mais eu gritei, o tanto que podia
Por socorro, sim, eu gritei
Você não ouviu, não conseguia
Mais eu gritei, o tanto que podia

Tentei acreditar tanto nisso
Sim, eu tentei
Tentei sentir o que você sentia
Sim, eu tentei
Tentei ver o que você via
Sim, eu tentei
Só não consegui
Hoje so quero que se foda, que se foda o inventor
Aquele filho da puta, o que inventou tudo isso

Tentei acreditar naquilo que você sentia
Tentei acreditar que realmente conseguiria
Acreditei que tudo ficaria melhor, não sabia
Ficou tão estranho, não era o que queria
Eu vi, eu vi o que você sentia
Eu sabia, não sentiria o que você sentia
Não, não era o que eu queria
Tudo aquilo que eu vi, parecia tão bom
No fundo eu sabia
Nada daquilo era o que realmente queria
Parecia tão metódico
Eu não sei, não entendo
Eu só sabia, não queria aquilo

Lutei contra isso
Tentei evitar tudo isso
Lutei contra aquele inimigo
Tudo que fiz, foi acreditar
Não sabia que não venceria
Aquilo tudo se tornou tão metótido
Eu desisto, não quero tudo isso
Já te falei que tentei, eu tentei
Tentei sentir o que você sentia
Tentei entender do que você entendia
Eu não podia, não sentia
Não quero mais acreditar nisso
Não quero acreditar que um dia tudo melhoraria

Tentei acreditar tanto nisso
Sim, eu tentei
Tentei sentir o que você sentia
Sim, eu tentei
Tentei ver o que você via
Sim, eu tentei
Só não consegui
Hoje so quero que se foda, que se foda o inventor
Aquele filho da puta, o que inventou tudo isso

Aquele tempo, aquela espera
Eu sabia, tinha uma fila
Não, eu não consegui
Não consegui esperar tanto
Não consegui dominar o que sentia
O consumo, aquilo me consumia
Escondido, eu estava escondido
Aquilo me escondia
Não agüento tudo aquilo
Não sentir como você sentir
Não saber se um dia tudo melhoraria
Não saber de nada
Eu não agüentava, eu não agüento

Hoje, eu sei
Eu não conseguiria, jamais conseguiria
Antes não saberia o que eu não conseguia
Mais hoje, hoje eu sei
Perdoe-me, eu não consegui
Não consegui superar suas expectativas
Tentei entender tudo aquilo que você me dizia
Toda aquela história de como tudo seria melhor um dia
De que tudo era passageiro, que tudo passa
Não é sua culpa, eu desisti
Tentei te falar, você não me ouviu
Por favor, não sofra
Não queria te fazer sofrer
Não suporto te fazer sofrer
Não era pra ter demorado tanto
A covardia me dominou
As proporções que isso tomou
Eu não sabia, o tempo parece longo
Só quero ver você bem
Por Favor, não sofra, não sofra
Eu sei que você pensou que estava tudo bem
Você se deixou enganar, não entendeu, não escutou meus gritos
Era tão simples, você não ouviu
Não ouviu a voz por dentre meu silêncio
Não é sua culpa, disso sei
Por favor, não chore, não me esqueça
Não sofra, não sofra

Tentei acreditar tanto nisso
Sim, eu tentei
Tentei sentir o que você sentia
Sim, eu tentei
Tentei ver o que você via
Sim, eu tentei
Só não consegui
Hoje só quero que se foda, que se foda o inventor
Aquele filho da puta, o que inventou tudo isso

Era de você, toda aquela energia
Tudo o que sentia, vinha de você
Você é tão incrível, tão perfeita
Não penso mais, não quero mais
Hoje tento te colocar em algum lugar na minha alma
Achar um lugar na minha alma que você permaneça
Não quero te esquecer, você é especial
Sinto você se desfazendo, estou te esquecendo
Não quero isso, sou dependente de você
Não quero te esquecer, não posso
Mesmo assim, não quero ir
Não queria te esquecer, mas não agüento
Você me vê tão bem, eu não vejo isso
Você não poderia, não sente o que sinto
Eu quero, talvez seja melhor daquele lado
Enquanto não há coragem, vejo aquela lembrança
Ouço você me dizendo como tudo é lindo
Que tudo vai passar, que as coisas vão melhorar
Talvez quando eu for
Enquanto não consigo, continuo lutando
Mais eu sei, cedo ou tarde vou conseguir
Logo estarei daquele lado
Enquanto não ganhei, apenas sou um guerreiro
O guerreiro da batalha perdida

Por/ben-ami
04:53 21/12/2010

0 comentários