sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Fogo de Vesta

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010


Quero a tua libertinagem pura
Sobre o meu corpo ungido e vadio.
Donde o fogo ilumina e crepita
Desejosas fagulhas em delírio...
Luzes, sobrepostas, incendeiam
Febres terçãs em vertentes.
Anjos e demônios ofertam
Manhas, prazeres e cios...
Não existem ungüentos e emplastros,
Só vadiagem, tara e libido
Quando somos labaredas altivas
E nos damos em lanhos, suores e salivas...



0 comentários: