sábado, 3 de outubro de 2009

Talvez?

sábado, 3 de outubro de 2009



Usando palavras que fluem de minha mente aqui vai meus sentimentos, na qual o título é indefinido.


Ah um bom tempo venho passando por dificuldades, pode elas até mesmo por mim ter sido inventadas, vividas apenas em um mundo que criei para me conformar com as coisas da vida, com coisas que para mim não são aceitáveis, até mesmo por as coisas não serem da forma que eu enxergava, e por ser decepcionado muito por pessoas que confiei e usufruí de uma amizade ou coisa do tipo que no fim não era de certa forma real, a tempo venho me cansando e por nem mesmo perceber me tornei uma pessoa muito vulnerável e no popular, uma pessoa “FRACA”, que por qualquer motivo se entrega a deus dará, foda-se o resto. Em meio a me conhecer melhor, venho hoje me policiar mas, testar minha resistência, e até mesmo mudar esse quadro vicioso que é minha vida. Talvez até mesmo daqui um tempo eu venha a rir desta situação, mas no momento, nem lagrimas acalenta minha tristeza, na qual me vejo sem esperança, sem motivação alguma, as coisas já não me tem aquela essência que antes costumava ter, até mesmo meus vícios não tenho mas a disposição para saciá-los, e venho hoje a pensar que tudo foi inútil, que nada fez sentido, talvez até tenha tido algum sentido em meio a tanta mentiras, tanta ilusão que vivi até hoje. Como fortalecer meu pobre e frágil coração? Como faze-lo ser mas duro, e dar o valor que ele ele merece, ao menos o valor de estar vivo, batendo ali a cada momento, mantendo esse jovem que talvez não tenha sofrido tanto e nem mesmo tenha sentido a dor que muitos sentiram, que talvez reclame sem enxergar a riqueza que há em sua volta. Como fazer ele continuar... esquecendo tudo, e se fortalecendo e continuando sua jornada na vida, que nem ao menos pode ter tido um real inicio.
Hoje ele resolve as coisas sem nem mesmo saber se o fez, nem mesmo sabe o que fazer... arrependimentos? Ele tem vários! Mas para que servem os arrependimentos se a alma está entregue a derrota, se seu corpo e alma já se deram por derrotados, se ele talvez esteja apenas sendo uma marionete para o teatro de alguem, que até mesmo ele se sinta manipulado. O que fazer quando ele se sente: Feliz e Triste, cheirando bem e com um certo odor, o que fazer se ao menos a decisão ele não tem, se nem mesmo se expressar ele sabe. Ele precisa de ajuda? Talvez até precise, mas ele não se dispõe a ser ajudado, nem mesmo se dá ouvidos a ser aconselhado, que já esta fora de seus limites e alem do controle da situação que antes ele achava que tinha, que de tão descontrolado que ele está, as coisas a seu redor param de se movimentar, ele parece sozinho, perdido em um deserto, sem nem mesmo um cacto para de companheiro à ele servir. Até mesmo sua família não tem mas valor algum para ele em suas expressões, e ele já se dá por condenado por talvez não ver a solução que quem esta por fora pode estar vendo.
O porquê o persegue.
Talvez ele esteja machucado, mas em que sentido?
Ele se culpa dizendo ser “safado”, que todas suas ações são por sua safadeza, mas deve haver um motivo para ele fazer as coisas sem temer conseqüências, sem ao menos temer nada, deve existir ao menos um motivo para ele não ter pena de si próprio. Talvez seria como um amigo dele disse um dia! Você sabia que quando as pessoas tem alguma dor enorme no corpo elas criam outra dor, porque assim quando a dor e tão grande o cérebro dá uma pane, pois a dor e maior que a quantidade de dor que o corpo poderia aguentar. Quando você tá ferido, magoado e até mesmo angustiado no amor e na tua vida, você procura criar outra dor mas forte para sobrepor a dor que lhe fere mas, que em você causa mais danos, e que até mesmo você não a suporte.
Ele disse, tem uma musica, que acho que lhe serviria de exemplo!







Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer...

Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe alegria
E a dor que traz no coração...

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...

Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier...

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...(2x)

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr...





Talvez ele até tenha interpretado da forma correta, mas enfim!


A duvida que nele continua. O QUE FAZER?


0 comentários: